Os peixes da Mata

  • Publicado: 1 de abril de 2021

Os peixes da Mata

Por Luciane Borrmann, Labjor/Unicamp

Você sabia que...


Um estudo da ictiofauna, ou seja, dos peixes que vivem num corpo d’água da Mata Santa Genebra foi feito entre 2017 e 2018 pela bióloga Christine Andreassi Ahlgrimm para o seu TCC de graduação da Universidade Paulista (UNIP). O trabalho Composição da ictiofauna de um curso d’água da A.R.I.E. Mata de Santa Genebra revelou a presença de peixes de três gêneros distintos: Caborja, da ordem Siluriformes (família Callichthyidae, gênero Callichthys); e da ordem Cyprinodontiformes (família Poeciliidae) outros dois gêneros Poecilia (Lebiste) e  Phalloceros (Guaru).



Exemplares capturados na segunda coleta. a) Phalloceros sp.; b) Poecilia sp. (fêmea); c) Poecilia sp. (macho); d) Callichthys sp.; e) Poecilia sp. ; f) Phalloceros sp. Fotos: Christine A. Ahlgrimm


Foram feitas duas coletas para a amostragem das espécies. E o interessante foi o registro do aumento significativo na quantidade de exemplares do gênero Callichthys, de um exemplar na primeira coleta para 22 na segunda. Segundo a bióloga, a diferença foi atribuída ao fato de ter ocorrido, apenas alguns dias antes da segunda coleta, um vazamento de esgoto no local de estudo provocando mudanças significativas no habitat, principalmente o aumento da quantidade de matéria orgânica disponível. Os peixes da família Callichthyidae se alimentam em grande parte de detritos presentes no fundo de corpos d’água.


Covo feito de garrafa pet para coleta dos peixes. Foto: Christine A. Ahlgrimm


A pesquisa revela a importância de se estudar a ictiofauna de ambientes fluviais de pequeno porte como o da Mata Santa Genebra já que estudos envolvendo ambientes fluviais de tamanhos pequeno e médio são escassos, perdendo espaço para estudos que correspondem a rios e bacias de grande porte. A mesma situação ocorre com os estudos de peixes de pequeno porte (0 a 15 cm de comprimento) que habitam estes ecossistemas. Essas espécies correspondem a 50% da fauna destes ambientes, mas ainda assim são menos estudadas que as espécies de porte maior (acima de 15 cm de comprimento). 

O vazamento de efluente doméstico, como ocorreu no local de estudo e que produziu uma alteração significativa no ambiente e na ictiofauna, mostra que impactos ambientais podem levar a perda de diversidade, consequência preocupante para o bioma Mata Atlântica, um dos mais ameaçados do país.