Queda de balão provoca incêndio próximo à Mata Santa Genebra

  • Publicado: 10 de setembro de 2019

Queda de balão provoca incêndio próximo à Mata Santa Genebra

Queda de balão provoca incêndio próximo à Mata Santa Genebra

Fim de semana foi de intenso trabalho para a Brigada de Incêndio da FJPO

Um incêndio nas proximidades da Mata Santa Genebra, no sábado, feriado de 7 de setembro, por volta das 19h, mobilizou a Brigada de Incêndio da Fundação José Pedro de Oliveira (FJPO) que foi acionada e conseguiu debelar as chamas. Segundo os brigadistas o fogo foi causado pela queda de um balão.

O fogo atingiu uma área de 10 hectares do Fragmento D, uma área de APP (Área de Preservação Permanente), área tombada pelo município de Campinas como patrimônio natural,  localizada atrás do Atacadão e da CEASA, a menos de um quilometro da Mata Santa Genebra. O fogo durou cerca de quatro horas para ser controlado pela Brigada de Incêndio da FJPO com ajuda de uma equipe da Defesa Civil de Campinas.

“O Fragmento D serve de refúgio para a fauna silvestre, como a onça parda, por exemplo. Além de combater o fogo nesta área, o importante era controlar o fogo para que não atingisse a mata principal, explica Gilcimar Santana, chefe da Brigada da FJPO.

Gilcimar reforça a necessidade da conscientização, de que não se deve soltar balões. Soltar balões é considerado crime ambiental, previsto pela Lei federal nº 9.605/98, a qual define pena de um a três anos de detenção e/ou multa por balão apreendido para quem fabricar, vender, transportar ou soltar.

Os balões podem causar sérios danos para a população, incêndios em matas e florestas resultando na destruição do habitat dos animais e contribuindo, assim, para o desaparecimento de espécies vegetais ameaçadas de extinção. Além de, também, provocarem o aumento do percentual de dióxido de carbono na atmosfera e sua influência no efeito estufa.



No domingo, dia 8, houve um novo foco de incêndio no Fragmento D, atingindo uma área de dois hectares, que foi controlado pela Brigada de Incêndio da FJPO. Para Edson Leite, membro da Brigada, não é possível apontar com exatidão a causa deste novo foco de incêndio.

A Fundação José Pedro de Oliveira acionou a Polícia Ambiental para as medidas penais cabíveis.